29 de novembro de 2021

Dúvidas respondidas sobre o tratamento para apneia obstrutiva do sono – CPAP

Apesar de ser uma doença comum, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre o tratamento e o aparelho para apneia, principalmente sobre o seu funcionamento, seus efeitos colaterais e a forma de uso.

Pensando em falar mais sobre o tratamento para essa condição e esclarecer as dúvidas referentes ao aparelho para apneia criamos esse artigo. Continue lendo e confira as principais perguntas e respostas sobre o funcionamento do CPAP.

1. O que é o CPAP?

O CPAP consiste em um pequeno aparelho compressor de ar silencioso, com alta tecnologia que se conecta através de um circuito flexível a uma máscara ajustada ao nariz ou nariz/boca do paciente.

Atualmente é considerada a técnica mais eficaz e mais utilizada para o tratamento da apneia obstrutiva do sono moderada ou grave.

CPAP é uma sigla que vem do inglês Continuous Positive Airway Pressure, ou seja, pressão positiva contínua em vias aéreas.

Este aparelho para apneia é usado para prevenir a obstrução da garganta enquanto o paciente dorme e para melhorar o sono e a qualidade de vida de quem tem essa doença.

2. O aparelho para apneia também corrige o ronco?

Sim. O aparelho de apneia, o CPAP, gera uma espécie de “colchão” de ar na garganta, impedindo que as estruturas daquela região se aproximem umas das outras, evitando o seu estreitamento ou obstrução.

Dessa forma, o equipamento impede o ronco desde o primeiro momento de uso — seja em casos mais graves ou durante o sono profundo. Mas é preciso que o CPAP esteja bem calibrado, fazendo com que o fluxo tenha a pressão correta para o paciente. Para isso, é preciso contar com a ajuda médica e fazer o acompanhamento frequente, para analisar se não é necessário modificar as configurações.

Se você usa esse aparelho corretamente e ainda está roncando, há algo de errado que precisa ser visto pelo seu médico de confiança.

3. Como é feita a calibragem do CPAP?

A escolha da pressão ideal do CPAP é geralmente realizada através de uma polissonografia de titulação.

Ou seja, é realizado um exame onde o paciente dorme com o aparelho para apneia e o médico avalia qual é a pressão ideal para acabar com a obstrução das vias aéreas e, consequentemente, com o ronco e as paradas respiratórias.

Atualmente, existem CPAPs automáticos, que conseguem “perceber” os roncos ou apneias e regulam a pressão automaticamente até a correção do problema.

Mas atenção: em muitos casos o aparelho de apneia automático não é suficiente para substituir a polissonografia de titulação, podendo causar diversos efeitos colaterais e outros problemas mais graves.

4. O aparelho para apneia faz barulho?

Não. Os aparelhos para apneia modernos são extremamente silenciosos. Caso ocorra algum barulho é sinal de que está ocorrendo vazamento ou há algo errado com o equipamento.

Procure o seu médico ou uma equipe especializada nesta situação.

5. O CPAP utiliza oxigênio?

Não. O CPAP utiliza o ar ambiente (o mesmo que respiramos). Sua única finalidade é manter a garganta aberta para permitir a passagem adequada do ar durante o sono.

Em alguns casos, quando o paciente é portador de alguma outra doença respiratória pode ser acrescentado oxigênio ao uso do aparelho de apneia.

6. O aparelho para apneia utiliza bateria?

Normalmente os CPAPs não utilizam baterias, o que obriga o paciente a ligar o equipamento na energia elétrica para poder utilizá-lo.

Caso ocorra alguma queda do fornecimento de energia, não há riscos para o paciente: ele conseguirá respirar normalmente.

Mas, atualmente, já existem aparelhos para apneia que contam com baterias inclusas ou como peças extras, o que é uma ótima opção para quem gosta de viajar para áreas mais remotas ou conta com muita instabilidade na rede elétrica da casa. Esses modelos tendem a ter um custo mais elevado do que os simples.

7. Quais são os efeitos indesejáveis do CPAP?

Os efeitos indesejáveis do CPAP são raros e, na maioria das vezes, podem ocorrer por conta dos seguintes fatores:

  • má calibragem ou utilização do equipamento;

  • escolha de uma máscara inadequada para o tipo do paciente;

  • grau da doença e

  • falta de orientação ao paciente sobre o uso do aparelho da apneia.

Alguns pacientes relatam casos de ressecamento, obstrução nasal, desconforto, fobia pela máscara ou até mesmo distensão abdominal por aerofagia (se o paciente deglute o ar).

Em alguns casos, os médicos podem prescrever o uso de doses baixas de tranquilizantes que não causem dependência, até que ocorra uma familiarização e adaptação ao uso do aparelho.

De qualquer forma, é sempre bom lembrar que uma boa orientação e o acompanhamento médico de uma equipe especializada em tratamento da apneia obstrutiva do sono são os principais determinantes do sucesso na adaptação do paciente ao CPAP.

8. O aparelho para apneia vicia?

O CPAP pode restaurar e melhorar a qualidade de sono, oferecendo noites de sono mais duradouras. Por este motivo, alguns pacientes não querem mais dispensar o uso do CPAP, assim como ninguém abre mão de uma boa cama.

Mas o uso em si não é viciante, será sempre uma escolha consciente do paciente que, inclusive, poderá interromper o uso quando desejar. Caso isso seja necessário por alguma razão, não haverá nenhum sintoma de abstinência ou piora do caso.

O que pode ocorrer é os sintomas da apneia, como a dor de cabeça ao acordar e o cansaço extremo durante o dia, incomodarem mais do que anteriormente, uma vez que o paciente já estava acostumado a dormir bem.

9. Terei que usar o CPAP por toda a vida?

A ansiedade provocada pelo pensamento de “ter que” usar um aparelho para apneia por toda vida pode levar alguns pacientes a buscarem tratamento da apneia obstrutiva do sono definitivo.

Tratamentos definitivos nem sempre são os mais indicados, além de não resolver o problema, podem trazer prejuízos irreparáveis. Por isso, é importante consultar um médico de confiança para saber se essa é uma possibilidade para você e conhecer os possíveis riscos. Lembre-se de sempre comparar os pontos positivos com os negativos e nunca tome uma decisão importante de forma impulsiva.

A cada dia que passa, as máscaras de CPAP estão mais confortáveis, com aparelhos menores e com recursos de alta tecnologia que tornam o processo de adaptação e uso flexíveis ao paciente. Por isso, após a indicação médica para o uso do CPAP o paciente pode encarar o tratamento de 2 formas: uma OBRIGAÇÃO ou uma OPORTUNIDADE de tratamento.

10. Qualquer pessoa pode usar um aparelho de apneia?

Não. O aparelho para apneia é um tratamento sério e o seu uso envolve riscos à saúde, possuindo algumas contraindicações absolutas.

Antes de iniciar o uso do aparelho, todo paciente deverá ser avaliado por um médico especialista que poderá solicitar alguns exames em busca de possíveis contraindicações ao seu uso.

O uso do CPAP possui indicações e ressalvas específicas, que devem ser individualmente avaliadas por um especialista. Nunca inicie esse tratamento sem ter o aval de um médico.

11. A terapia de CPAP cura a apneia do sono?

A apneia do sono é melhorada pelo CPAP, pois, como já explicado, o dispositivo cria um fluxo de ar constante que evita o colapso das vias aéreas durante o sono. Enquanto é realizada, esse problema pode ser totalmente resolvido.

Mas o que você precisa ter em mente é que o aparelho para apneia é um tratamento, não uma cura. Enquanto você usa CPAP, os sintomas da apneia do sono param. Como consequência, sua respiração e seu sono se regularizam. Se você parar de usá-lo, essas duas ações do corpo serão interrompidas novamente.

Curiosamente, muitas pessoas observam alguns dias de benefício residual quando param de usar o CPAP ou fazem uma pausa. Isso ocorre devido à diminuição do inchaço ao longo das vias aéreas. Porém, à medida que o ronco e a apneia do sono são retomados, o inchaço retorna e os sintomas da doença também.

12. É preciso encaminhamento médico para comprar o CPAP?

Sim, para obter uma máquina de CPAP, você deve obter uma receita do seu profissional de saúde ou o resultado do exame de polissonografia para avaliação

Lembre-se que o CPAP é um tratamento que requer atenção e orientação de um profissional da área, pois os riscos da não adesão e os efeitos colaterais podem influenciar no andamento do seu tratamento e da sua saúde.

13. Como ter um tratamento com o aparelho para apneia mais confortável?

O aparelho para apneia é o melhor tratamento para a apneia obstrutiva do sono. Isso pode fazer com que os sintomas desapareçam totalmente, desde que você continue utilizando. Mas para que você desfrute de todos esses benefícios, é importante ter alguns cuidados que fazem toda a diferença, tanto a curto prazo, no período de adaptação, quanto a longo.

Entre os principais cuidados que você deve ter, podemos citar:

  • Limpeza dos acessórios do aparelho de apneia: a máscara, a traqueia e os filtros laváveis deverão ser higienizados frequentemente, o que evita alergias.

  • Ajuste na terapia: caso você não se adapte à pressão, converse com o seu médico para diminuir ou mude de aparelho, para ter mais conforto durante o tratamento.

  • Escolha a máscara ideal: tenha atenção extra para escolher o modelo e o tamanho ideal para o seu tipo de rosto. Assim você garantirá a vedação sem comprometer o bem-estar.

  • Não desista: mesmo que você tenha um período de adaptação difícil, não deixe de usar o aparelho para apneia. Converse com seu médico e busque maneiras de aliviar o desconforto. Pense nos benefícios a longo prazo e na sua saúde.

Gostou deste artigo? Então nos siga no Facebook e no Instagram para mais conteúdos desse tipo. 

E se você deseja conferir quais são os modelos de aparelho para apneia disponíveis no nosso site, visite a nossa loja virtual e confira.

CPAP Fit

A CPAP FIT é um ecommerce especializado em produtos médicos hospitalares.

FRETE GRÁTIS PARA TODO O BRASIL Confira o regulamento.
12X SEM JUROS NO CARTÃO
10% DESCONTO NO PIX OU BOLETO